POSTAGENS RECENTES

domingo, 12 de maio de 2013

12 MAIO - DIA DAS MÃES 2013









Homenagem às mães!

Nem mesmo o código misterioso da comunicação foi capaz de rimar este nome perfeito: Mãe! Foi preciso traduzi-lo em versos, flores, abraços e homenagens o afeto singular da Mãe!
Os símbolos se juntaram para indicar o verdadeiro lema desse amor tão puro e o som perfeito produziu o verso da canção: Mãe!
Não é necessário o discurso inflamado, a palavra bonita, a inspiração. Em qualquer berço, a proteção, o calor e a sinceridade dessa figura inigualável insinuam a presença forte da Mãe!
A aproximação do DIA DAS MÃES ameniza a aridez espiritual dessa humanidade, na sua maioria órfã. E chega o momento da reflexão, quando o amor é avaliado. Mereço ser mãe?
Ter um filho significa o compromisso de coautoria da vida com Deus - Autor da vida. É contrato infinito. Em cláusula única se resume o amor. Amor que se esforça o tempo todo para se aproximar do verdadeiro Amor e, quando se imagina sublime e forte, o vendaval das lutas da vida o inunda de lágrimas. Ele se fortalece na oração.


  • Mãe - resposta do questionário dos deveres de casa.
  • Mãe – palavra-chave das lições iniciais de cada dia.
  • Mãe - cada instante soletrado na cartilha da vida vai alfabetizando o amor.
  • Na última série de todos os graus, o amor torna-se adulto, ajuizado: Mãe-avó.
  • Mãe - enciclopédia dos sinônimos do amor.


  • No DIA DAS MÃES e sempre, oramos por você, que luta sem manchete nos jornais: Mãe anônima,
  • Oramos por você, Mãe, que vê ao redor seus filhos: Mãe idosa.
  • Oramos por você, Mãe, na saudade e na solidão: Mãe sozinha.
  • Oramos pela Mãe, cujo filho estagiou somente no coração: Mãe adotiva.
  • Oramos pelas MÃES do mundo inteiro e, ao redor do planeta, juntam-se mãos e dobram-se joelhos, numa prece sincera ao Supremo Criador do Universo: Deus a abençoe, mãe online virtual e presencial em @ no coração global.


Extraído do livro Escola Comunitária – 4ª edição
© Ivone Boechat





2 comentários:

  1. Minha mãe

    Ivone Boechat (autora)

    Mãe, morada primeira do ser que se candidata à vida,
    tabernáculo de admissão ao mundo,
    onde a alma ganha corpo e este a liberdade: laboratório de Deus.
    Mãe, braços quentes, colo farto, serenidade e amor,
    elo que liga a corrente da união que gera força,
    criatura frágil que traduz o mistério da vida no ventre e
    se deixa fortalecer na grandeza da maternidade.
    Mãe, missionária aventureira das poeiras do passaporte da vida,
    calor que faz pulsar corações,
    nas oficinas mecânicas de suas entranhas:
    doce milagre de oferecer o conforto da possibilidade de existir.
    Mãe, altar edificado no desencontro,
    especialista da seção de achados e perdidos,
    estandarte branco da paz pendurado na janela do perdão,
    companheira anônima na estrada sem retorno do amanhã.
    Mãe, você plantou esta flor que hoje lhe oferecemos, no seu Dia,
    tivemos a alegria de trazê-la,
    é homenagem com cheiro das manhãs radiosas que você regou de lágrimas, orando por nós.
    Deus ouviu. Ele escuta as mães que oram com fé.
    A resposta está aqui, porque viver é uma graça, é um milagre.
    Estamos vivos e com saúde para abraçá-la.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezada Ivone!
      Sempre um grande prazer te ler e tê-la aqui é uma alegria!!!
      Agradeço muito sua gentil contribuição!
      Abraços

      Excluir

Related Posts with Thumbnails