POSTAGENS RECENTES

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

23 SETEMBRO - INÍCIO DA PRIMAVERA NO HEMISFÉRIO SUL



Photobucket


A primavera começa nesta sexta-feira (23), a partir das 6h04 (horário de Brasília) e, com ela, tem início a chamada “temporada de chuvas” em praticamente todo o país, segundo previsão do Cptec (Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos).



Photobucket



No período, a tendência é que ocorram pancadas de chuva no final da tarde ou à noite, devido ao aumento do calor e da umidade.

De acordo com o órgão, a estação deve ser marcada pelo retorno do fenômeno climático La Niña, o que colabora para deixar os últimos dias de setembro e os meses de outubro e novembro mais molhados.

No período, é comum ocorrerem temporais acompanhados de rajadas de vento forte, raios e queda de granizo, principalmente nos Estados do Norte. No Nordeste, deve chover dentro da média para o período mas, no Sul, a previsão é que chova um pouco abaixo do esperado.

Na “estação das flores”, as temperaturas começam a subir em todas as regiões e, com isso, os termômetros devem oscilar entre as faixas dos 20ºC e 30ºC.

No centro-sul do Brasil, porém, as temperaturas ainda podem cair acentuadamente de vez em quando, devido ao avanço de massas de ar frio intensas. Já nas regiões Norte e Nordeste, há pouca variação de temperatura ao longo do ano.

A primavera no Hemisfério Sul vai até as 2h30 dia 22 de dezembro deste ano, quando começa o verão.



Photobucket





Photobucket




Veja também Primavera aqui Outono lá


quarta-feira, 21 de setembro de 2011

21 SETEMBRO - DIA DA ÁRVORE



Photobucket


Em 21 de setembro é comemorado, no Brasil,
o dia da árvore.
A data foi escolhida, por ser próxima ao início da primavera - a estação em que as flores aparecem em maior quantidade.



Photobucket



Essenciais para a vida, as árvores não só embelezam o planeta, como mantêm a umidade do ar. Além disso, ajudam a diminuir a poluição, porque dissolvem o gás carbônico, durante a queima de combustível. Produzem oxigênio, mudam a direção dos ventos, firmam o solo das encostas e também as margens dos rios.

Através da madeira dos seus troncos ainda é possível colher matéria-prima para a fabricação de medicamentos.



Photobucket



No Brasil, a árvore mais antiga é um jequitibá de 3.020 anos, localizado em Santa Rita do Passa Quatro, em São Paulo. Sua copa possui 39 metros de diâmetro, onde vivem tucanos e macacos, entre outros animais. Leia mais AQUI



Photobucket




Photobucket


domingo, 18 de setembro de 2011

18 SETEMBRO - DIA DOS SÍMBOLOS NACIONAIS


Photobucket


Em 18 de Setembro comemora-se o Dia dos Símbolos Nacionais.
Estes símbolos são de extrema importância para nossa nação, pois representam o Brasil dentro e fora do território nacional. Logo, devem ser respeitados por todos os cidadãos brasileiros.
Os Símbolos Nacionais são usados em cerimônias, documentos oficiais, eventos e localidades oficiais.



SÍMBOLOS NACIONAIS BRASILEIROS


A Lei 5.700, de 1º Set 1971 e suas alterações,
dispõe sobre a forma e a apresentação dos Símbolos Nacionais



Photobucket


BANDEIRA NACIONAL:

Esfera azul, representando nosso céu estrelado, ao centro com a frase "Ordem e Progresso". São 27 estrelas, representando os 26 estados e o Distrito Federal. Losango Amarelo ao centro representando o ouro. Retângulo verde, representando nossas matas e florestas.
Nossa bandeira foi criada em 19 de novembro de 1889, quatro dias depois da proclamação da República. Ela foi projetada por Raimundo Teixeira Mendes e Miguel Lemos. O desenho foi feito por Décio Vilares e a inspiração veio da bandeira do Império, desenhada pelo pintor francês Jean-Baptiste Debret, com o círculo azul com a frase positivista "Ordem e Progresso" no lugar da coroa imperial.
A única alteração na Bandeira Nacional desde então foi em 1992, quando a Lei No. 8.421, de 11 de Maio de 1992, fez com que todos todos os novos estados brasileiros, bem como o Distrito Federal, sejam representados pelas estrelas, bem como estados extintos sejam suprimidos de sua representação.



Photobucket


ARMAS NACIONAIS :

No centro há um escudo circular sobre uma estrela verde e amarela de cinco pontas. O cruzeiro do sul está ao centro, sobre uma espada. Um ramo de café está na parte direita e um de fumo a esquerda. Uma faixa sobre a parte do punho da espada apresenta a inscrição "República Federativa do Brasil". Numa outra faixa, abaixo, apresenta-se "15 de novembro" (direita) e "de 1889" (esquerda).
As Armas Nacionais (ou Brasão Nacional) representam a glória, a honra e a nobreza do Brasil e foram criadas na mesma data que a Bandeira Nacional. O uso das armas é obrigatório nos edifícios-sede dos três poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário) dos governos federal, estaduais e municipais, além dos quartéis militares e policiais e em todos os papéis oficiais de nível federal (publicações, convites etc.).


Photobucket


SELO NACIONAL :

Uusado para autenticar documentos oficiais e atos do governo. Usado também para autenticar diplomas e certificados emitidos por unidades de ensino reconhecidas. É representado por uma esfera com as estrelas (semelhante a da bandeira brasileira), apresentando a inscrição República Federativa do Brasil.



Photobucket


HINO NACIONAL :

Tocado em solenidades e eventos oficiais do governo, eventos esportivos e culturais e nas escolas, junto com o hasteamento da Bandeira Nacional.
O Hino Nacional do Brasil tem letra de Joaquim Osório Duque Estrada (1870 - 1927) e música de Francisco Manuel da Silva (1795 - 1865). Foi oficializado pela Lei nº 5.700, de 1 de setembro de 1971, publicada no Diário Oficial (suplemento) em de 2 de setembro de 1971.



Photobucket


São cores Nacionais o VERDE e o AMARELO
(Art 28, da Lei 5.700, de 01 Set 1971).



sábado, 17 de setembro de 2011

17 SETEMBRO - DIA DA COMPREENSÃO MUNDIAL



Photobucket

Hoje, 17 de setembro, é um dia bem especial,
embora como em tantos outros comemorados,
o motivo da data deveria ser lembrado sempre.
Comemora-se o Dia da Compreensão Mundial.


A compreensão mundial é de extrema importância para garantir a paz. Se quisermos construir uma humanidade onde o amor, o respeito e solidariedade prevaleçam, devemos compreender todas as nações e respeitar as diferenças étnicas e religiosas.


A grandeza maior de Deus está em permitir que todos os dons da vida possam coexistir pacificamente. Assim, também nós temos de aceitar todas essas manifestações com amor e compreensão, buscando a paz mundial. A revolta e a incompreensão só alimentam e geram a intolerância irracional, o desamor e a desarmonia.

Os pequenos gestos, mesmo as simples palavras de apoio, podem ajudar as pessoas. A força do pensamento e da oração é poderosa e pode realizar coisas incríveis e prodigiosas. Jesus nos ensinou que a única forma de convivermos em paz é distribuindo amor, sincero, puro e constante à toda a humanidade, especialmente àqueles que são mais carentes.

Ele disse: "Amai-vos uns aos outros como eu vos amei" e "Ame o teu próximo como a ti mesmo" . São Francisco de Assis, é a exemplificação dessa máxima divina do amor e compreensão incondicional de que "é dando é que se recebe".

Dar sem querer nada em troca, ajudar onde for necessário, ter compreensão pelo sofrimento do próximo, bem como por suas fraquezas morais e ideológicas, é também uma forma de receber, porque agindo dessa maneira generosa, estamos enriquecendo a nós mesmos, gerando sentimentos pacifistas de equilíbrio e harmonia.

Um único desejo sincero e profundo voltado para o bem, atua como uma espada de fogo manejada do outro lado. Embora invisível agora, ultrapassará o obstáculo erguido pela muralha dos nossos pensamentos, e nos atingirá também, porque somos uma só coisa e estamos ligados estreita e inseparavelmente.

Experimentemos, com nossas atitudes, pensamentos, preces e orações, enviarmos para toda a humanidade esse nosso desejo sincero de amor e paz. Assim, considerando que nossos pensamentos são ondas de desejos que adquirem a forma da intenção, devemos estar sempre sintonizados nas palavras de Jesus, para que a humanidade conviva sempre em Paz e envolta em compreensão, já que somos todos irmãos e iguais para nosso Deus Pai e Criador.



quinta-feira, 15 de setembro de 2011

15 SETEMBRO - DIA DO CLIENTE



Photobucket


No calendário de efemérides, existem datas para se comemorar de tudo: datas internacionais (Dia da Paz, Dia da Mulher, Dia do Trabalho), datas oficiais do Brasil (Tiradentes, Independência, República), datas religiosas (Páscoa, Natal), datas comerciais (Dia das Mães, Dia dos Namorados, Dia dos Pais, Dia da Criança), homenagens a categorias profissionais, simbolismos e até datas curiosas (Dia do Goleiro, Dia do Encarcerado, Dia da Mentira).

As datas do calendário comercial são aquelas largamente exploradas pelo Comércio, Indústria, Meio Publicitário e Mídia. São amplamente divulgadas e acabam se traduzindo em oportunidades de negócios, estimulando o consumo e colaborando para a manutenção e geração de milhares de postos de trabalho.

Não havia no calendário de efemérides uma data especial para se homenagear o Cliente.

Ora, o Cliente é a única razão de ser da existência de TODOS os produtos e serviços, de TODAS as empresas, de TODAS as profissões e de TODOS os postos de trabalho DO MUNDO. É justo, pois, que esta figura seja homenageada em uma data especial.

E com uma grande diferença: enquanto outras datas atingem públicos específicos, O DIA DO CLIENTE atinge a todos, sem exceção, tanto pessoas físicas quanto jurídicas, pois todos nós somos Clientes de alguém e todos nós dependemos de Clientes para sobreviver.

O DIA DO CLIENTE está concebido para ser um dia de homenagens e de agradecimentos. Um dia para mostrarmos a nossos Clientes o quanto eles são importantes para nós. Um dia para brindes, promoções, campanhas publicitárias, campanhas de venda, decorações especiais, anúncios e eventos e tudo mais que puder ser feito para reverenciar a figura do Cliente.

A intenção é a de transformar O DIA DO CLIENTE numa data forte e expressiva no calendário comercial, ensejando novas oportunidades de negócios.

Todos os dias devem, ou pelo menos deveriam ser “Dia do Cliente”, mas agora ele tem uma data especial: 15 de setembro – O DIA DO CLIENTE !




Fonte: Dia do Cliente



Photobucket

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

09 SETEMBRO - DIA DO ADMINISTRADOR


Photobucket


No dia 09 de setembro se comemora o dia desses profissionais, que possuem uma importância incrível na sociedade. Sem os administradores, não teríamos o desenvolvimento das organizações, assim, os outros profissionais não iriam ter oportunidades de emprego, sem contar o caos social que se instalaria na sociedade sob essas condições.


Photobucket


Os primeiros administradores ao longo da história foram os gerentes das companhias de navegação inglesas, em meados do século XVII. A escolha da data para ser o dia do administrador se deu pelo fato de que nesse dia, em 1965, foi assinada a lei que criou, oficialmente, a profissão de Administrador no Brasil. O dia do Administrador foi instituído pela Resolução CFA nº. 65/68, de 09/12/68.




Photobucket

09 SETEMBRO - DIA DO MÉDICO VETERINÁRIO



Photobucket


Foi no dia 9 de setembro de 1933, através do Decreto nº 23.133, que o então presidente Getúlio Vargas criou uma normatização para a atuação do médico veterinário e para o ensino dessa profissão. Em reconhecimento, a data passou a valer como o Dia do Veterinário.



Photobucket



Photobucket

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

08 SETEMBRO - DIA INTERNACIONAL DA ALFABETIZAÇÃO



Photobucket

Neste dia 8 de setembro o mundo todo comemora o

Dia da Alfabetização.


A data foi instituída em 1970 pela UNESCO e, a cada ano, governantes de todo o mundo discutem os caminhos para erradicar o analfabetismo.
A alfabetização é o processo que desenvolve as habilidades de leitura e de escrita de um sujeito, tornando-o capaz de identificar e decifrar os códigos escritos.
A UNESCO se comprometeu a diminuir os índices de analfabetismo no mundo, pois nos países subdesenvolvidos cerca de 25% de adultos e crianças não sabem ler e escrever, chegando a um total de novecentos milhões de pessoas.

Photobucket

O índice de cidadãos alfabetizados de um país indica o nível de desenvolvimento do mesmo. Quanto mais pessoas analfabetas, menos desenvolvimento. Isso faz com que governantes procurem favorecer suas estatísticas, criando projetos que melhorem essas taxas, mas não garantem o aprendizado, como a educação por ciclos, onde os alunos não podem repetir o ano, sendo aprovados para as séries seguintes, mesmo apresentando grandes deficiências.

Photobucket

Os métodos mais utilizados no processo de alfabetização normalmente levam os nomes de seus precursores. Jean Piaget, Montessori, e Paulo Freire são exemplos disso.
A comemoração da data no Brasil acontece desde 1930, no dia 14 de novembro, data da fundação do Ministério da Educação e Saúde Pública. Foi uma importante conquista do governo de Getúlio Vargas, que havia acabado de tomar posse.
A criação do ministério visava promover o ensino primário e combater o analfabetismo no país.


Photobucket

Em 2000, o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) realizou o censo sobre educação, concluindo que o índice de analfabetismo no país atinge cerca de 13% da população do Brasil com mais de dez anos de idade; a população de analfabetos absolutos de nosso país ultrapassa o número de 16 milhões. Além desses índices, existem as pessoas com mais de quinze anos que não permaneceram por quatro anos nas escolas, consideradas analfabetas funcionais – leem, mas não interpretam, numa margem de trinta milhões de brasileiros.
As grandes incidências de analfabetismo em um país o deixa mais propenso a aceitar as imposições dos governantes, assim como dos meios de comunicação de massa, pois essa parte da população torna-se despreparada para compreender os problemas sociais e lutar por seus direitos enquanto cidadãos.


Photobucket


terça-feira, 6 de setembro de 2011

07 SETEMBRO - INDEPENDÊNCIA DO BRASIL



Photobucket



No dia 7 de setembro de 1822, o príncipe regente dom Pedro, irritado com as exigências da corte, declarou oficialmente a separação política entre a colônia que governava e Portugal. Em outras palavras, ele proclamou a Independência do Brasil.

Um mês depois, mais precisamente em 12 de outubro de 1822, dom Pedro foi aclamado imperador e, em 1º de dezembro, coroado pelo bispo do Rio de Janeiro, recebendo o título de dom Pedro 1º.


Photobucket




Resumidamente, a conquista da independência do nosso país poderia ser contada dessa forma, mas a história não é tão simples assim. Começa realmente com o enfraquecimento do sistema colonial e a chegada da corte portuguesa ao Brasil (1808) e só termina em 1824, com a adoção da primeira Constituição brasileira.

Os motivos da separação

Entre os séculos 18 e 19, cresceram no Brasil as pressões externas e internas contra o monopólio comercial português e a cobrança de altos impostos numa época de livre comércio.

Diversas revoltas - a exemplo da Inconfidência Mineira, Conjuração Baiana e a Revolta Pernambucana de 1817 -, aliadas à Revolução Francesa e à independência dos Estados Unidos, provocaram o enfraquecimento do colonialismo e reforçaram o liberalismo comercial no Brasil. Em 1808, com a abertura dos portos, o Brasil passou a ter mais liberdade econômica e, com sua elevação à categoria de Reino Unido, deixou de ser, formalmente, uma colônia.

Em 1820, a burguesia portuguesa tentou resgatar sua supremacia comercial, promovendo a Revolução Liberal do Porto. No ano seguinte, o parlamento português obrigou dom João 6º a jurar lealdade à Constituição e a voltar para Portugal. Seu filho dom Pedro foi deixado no Brasil, na condição de príncipe regente, para conduzir uma eventual a separação política.

O rompimento

As pressões contra o controle de portugal cresceram na colônia, e a metrópole passou a exigir a volta de dom Pedro. O príncipe deu sua resposta a Portugal no dia 9 de janeiro de 1822 (Dia do Fico), com a célebre frase "Se é para o bem de todos e felicidade geral da Nação, diga ao povo que fico".

Iniciou-se um esforço político por parte dos ministros e conselheiros de dom Pedro, pela permanência dos vínculos com Portugal, mantendo um pouco de autonomia para o Brasil. Queriam uma independência sem traumas, mas as críticas ao colonialismo ficaram insustentáveis. Dom Pedro, então, se viu pressionado a oficializar o rompimento.

Foi assim que, em 3 de junho de 1822, dom Pedro convocou a primeira Assembléia Constituinte brasileira. Em 1º de agosto, declarou inimigas as tropas portuguesas que desembarcassem no Brasil e, dias depois, assinou o Manifesto às Nações Amigas, justificando o rompimento com as cortes de Lisboa e garantindo a independência do país, como reino irmão de Portugal.

Em represália, os portugueses anularam a convocação da Assembléia Constituinte brasileira, enviaram tropas à colônia e exigiram o retorno imediato do príncipe regente a Portugal. No dia 7 de setembro de 1822, durante uma visita a São Paulo, nas proximidades do rio Ipiranga, dom Pedro recebeu uma carta com as exigências das cortes e reagiu proclamando a independência do Brasil. Bahia, Maranhão e Pará, que tinham juntas governantes de maioria portuguesa, só reconheceram a independência em meados do ano seguinte, depois de muitos conflitos entre a população e os soldados portugueses.

No início de 1823, houve eleições para a Assembléia Constituinte que elaboraria e aprovaria a Carta constitucional do império brasileiro, mas, em virtude de divergências com dom Pedro, a Assembléia logo foi fechada. A 1ª Constituição brasileira foi, então, elaborada pelo Conselho de Estado e outorgada pelo imperador em 25 de março de 1824.

Com a Constituição em vigor, a separação entre a colônia e a metrópole foi finalmente concretizada. Mesmo assim, a independência só é reconhecida por Portugal em 1825, com a assinatura do Tratado de Paz e Aliança entre Portugal e Brasil, por dom João 6º.

Fonte: Almanaque Abril



Photobucket


Leia mais Aqui



E Aqui





segunda-feira, 5 de setembro de 2011

05 SETEMBRO - DIA DA AMAZÔNIA



Photobucket


Você sabia que existe um dia dedicado à Amazônia?

É o dia 5 de setembro.


A Amazônia é a maior floresta tropical do planeta.
Ela ocupa dois quintos da América do Sul e metade do território brasileiro, abrangendo os estados do Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e parte dos estados do Maranhão, Tocantins e Mato Grosso.
Não é só o tamanho da floresta que impressiona.
Ela também é rica em minerais, espécies vegetais e animais, além de guardar cerca de um quinto das reservas de água doce do mundo (graças ao grande volume de água dos seus rios).
Ao absorverem carbono, suas árvores contribuem para o equilíbrio do clima mundial.
Tudo isso mais a variedade de solos, altas temperaturas e muita chuva faz com que a Amazônia seja um ecossistema autossustentável, isto é, capaz de se manter com seus próprios recursos.



Photobucket


Apesar de toda a grandeza da Amazônia, seu solo tem baixa fertilidade.
Por isso não adianta derrubar suas árvores para investir na agricultura e em pastos para o gado.
Sem a cobertura vegetal para proteger, a água da chuva carrega os nutrientes do solo e o empobrece.
Desmatamentos, disputas pelo domínio de suas terras, caça e pesca sem controle e contrabando de animais e de plantas ameaçam a sobrevivência da floresta e impedem a utilização correta de seus recursos para o bem da humanidade.
O melhor que temos a fazer é proteger a Amazônia.


Fonte: www.ibge.gov.br



Photobucket



sexta-feira, 2 de setembro de 2011

02 SETEMBRO - DIA DO REPÓRTER FOTOGRÁFICO







No dia 02 de setembro é comemorado o dia do repórter fotográfico, o profissional que consegue registrar fatos e acontecimentos marcantes, capturando as imagens no exato momento em que os mesmos acontecem.




O repórter fotográfico surgiu com a fotografia jornalística, e o seu reconhecimento como tal, deu-se ao longo da história que muitos retrataram para a posteridade.
Identificar o repórter fotográfico deve passar por alguns critérios técnicos no que se refere ao ato de fotografar, de utilizar o equipamento e de comportar-se diante dos acontecimentos.
Um bom fotógrafo deve saber identificar as imagens que melhor irão informar e de certa forma adaptar-se aos textos. A informação, o entretenimento e um grande poder de indução para o jornal fazem parte das qualificações de uma imagem foto jornalística.
Os fotógrafos de jornais não são ilustradores de eventos, ou simples retratistas, mas profissionais que devem conseguir passar ao leitor uma visão dos factos e acontecimentos, obtidos em segundos através do uso das suas câmaras fotográficas e que certamente irão gerar questões e deixarão perguntas no ar para o leitor.
O trabalho do repórter fotográfico é algo muito amplo devendo conter uma produção consciente do que vê, retrata e informa através de fragmentos de luz tornando estes acontecimentos significativos e muitas vezes em dramáticos poemas do quotidiano humano.
Esperar o momento certo do "clic", segundo Pedro Martinelli, não é possível ao repórter de jornal ou revista, pois os mesmos têm prazos a serem cumpridos e os acontecimentos são impregnados de adrenalina, e a antecipação aos acontecimentos para apanhá-los no seu ápice é uma das armas do repórter de imagem.
A agenda que podemos entender como a fotografia antecipadamente determinada a ser realizada, não pode ser o limitador da criatividade e da autenticidade da realidade a ser fotografada, mas uma orientação para concentrarmos o nosso objetivo a ser alcançado. Os imprevistos dos acontecimentos pré-determinados, muitas vezes geram mais informação que o facto principal.
A atenção a todos os detalhes é fundamental para a obtenção de imagens únicas e significativas. As emoções pessoais não devem ser ignoradas, mas utilizadas como sinais que lhe identificam a hora de apertar o botão. Não pense muito, chamou a atenção, fotografe!
O repórter fotográfico deve ter presente que deve simplesmente usar o lugar, a sua criatividade, o seu equipamento e liberdade para que o momento que se depara à frente da sua câmara, seja registado de forma a que venha a informar de maneira única e real o acontecimento.
Estabelecer uma empatia entre o leitor e a imagem, obriga ao repórter fotográfico um pleno conhecimento do equipamento, muita disciplina para a execução da foto e um bom conhecimento de fotografia.
A luz, o principal elemento da fotografia não deve ser combatido, mas utilizado como o grande aliado na obtenção das imagens. Adaptar-se é o grande segredo do repórter fotográfico, que percebendo as luzes incidentes nos acontecimentos deve posicionar-se de forma a que estas lhe auxiliem na obtenção das fotografias desejadas.
As regras para se atuar como repórter fotográfico consistem particularmente numa postura e atitude do fotógrafo diante dos acontecimentos. Intuição, criatividade e perspicácia serão os ingredientes para a obtenção de boas fotografias jornalísticas e para a criação de um estilo único e particular.
Conhecer os equipamentos que serão utilizados, tais como o perfeito funcionamento de câmaras, objetivas, flashes, as propriedades e finalidades dos filmes que irá utilizar, lhe darão segurança na altura de realizar as fotografias.
A atenção a ação, ao desenrolar dos acontecimentos acompanhados de uma boa intuição e confiança no trabalho que desempenha, também serão os seus aliados na obtenção dos melhores momentos a serem fotografados.
As decisões de chegar antes dos acontecimentos marcados, com a credencial para realizar o seu trabalho e a atitude de ser sempre o último a retirar-se do palco dos acontecimentos, tem rendido a muitos repórteres fotográficos, a possibilidade de obterem imagens únicas e especiais. O facto de adiantar-se no local dos acontecimentos permite sempre um estudo antecipado da iluminação existente, do local onde se desenrolará os factos e permite, ainda, escolher o melhor posicionamento para o desempenho das tarefas agendadas.
Assegurar-se sempre que leva consigo a documentação que o identifica como profissional de imprensa, lhe possibilitará maiores facilidades no desempenho da reportagem fotográfica.
A pressa não combina muitas vezes com o repórter fotográfico. Pressa no sentido de fazer o serviço rapidamente para livrar-se do mesmo.
A serenidade no agir, a polidez, a educação, a paciência, o afastamento de conceitos tipo "é impossível", são alguns dos aprimoramentos que a "pessoa" do repórter deve cultivar.
Uma boa fotografia jornalística não tem 'timing' para acontecer, portanto o repórter fotográfico deve despojar-se de horários e vontades de fotografar, pois os acontecimentos são recheados de momentos únicos e irrepetíveis.
A espontaneidade de um assunto a ser fotografado dependerá muitas vezes da empatia estabelecida entre o fotógrafo, o assunto e o ambiente onde o mesmo deverá acontecer. Câmaras, flashes, fotógrafos costumam assustar e a tornarem tensos os protagonistas de muitos acontecimentos, portanto antes de fotografar mova-se pelo ambiente com discrição e tranquilidade, até que a sua presença não desperte muita atenção, começando aí então a realizar seu trabalho.
O facto de ter chegado cedo certamente em situações como esta será de grande ajuda, pois a sua identificação com o ambiente dos acontecimentos será mais fácil e despojada de destaque desnecessário.
A utilização de objetivas luminosas, películas adequadas e o aprimoramento da técnica de fotografar permitiram superar adversidades ocasionadas por iluminação deficiente, iluminação com intensidade diversa, falta de espaço, impossibilidade de aproximar-se ao assunto.
Finalmente devemos ter presente que a função do repórter fotográfico é registrar fatos, acontecimentos e momentos essenciais para o ser humano, em imagens com o objetivo de informar, de questionar, de esclarecer e gerar opiniões aos leitores de jornais e revistas.
Como tal, o repórter fotográfico deverá dispor de um equipamento no mínimo básico para realizar os seus trabalhos; porém dar conselhos sobre equipamentos fotográficos é delicado e sempre a escolha dependerá de uma decisão pessoal.

Fonte: Fotojornalismo: a História, a Prática e a Técnica de Carlos Recuero






As imagens podem ser de fatos políticos, históricos, sociais, esportivos, culturais, natureza, dentre outros, retratando alegria, sofrimento, dor, esperança, etc.


quinta-feira, 1 de setembro de 2011

01 SETEMBRO - DIA DO PROFISSIONAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA



Photobucket

Hoje comemoramos o dia do Profissional de Educação Física!


É ele que nos incentiva a praticar atividades físicas, e assim melhorar nossa qualidade de vida. Esses profissionais são muito importantes, pois nos ajudam a ter uma vida mais saudável com a prática de exercícios, e assim não levar uma vida sedentária, pois isso prejudica a saúde do nosso corpo e mente. Praticar atividades físicas pode ser algo muito divertido, quando não encarada apenas como uma obrigação. Com o tempo, a prática se torna um hábito, se tornando assim, algo prazeroso de se fazer.

Essa data comemorativa teve origem em 27 de junho, quando nas comemorações de São Cosme e Damião, os mesmo organizavam brincadeiras para a criançada. Porém, com a regulamentação da profissão, a comemoração foi mudada para o dia primeiro de setembro.


O campo de trabalho dos profissionais de educação física cresceu bastante nos últimos anos, deixaram de ser apenas professores de escolas ou academias, estendendo seu campo de atuação.
Hoje trabalham como “personal trainers”, desenvolvem programas de emagrecimento para crianças e adultos, organizam trabalhos de acréscimo muscular, que são muito valorizados em razão da população cultuar o aspecto físico, estar mais vaidosa, buscando um corpo belo, cheio de formas e músculos aparentes, além de garantir uma vida mais saudável!



Photobucket


Parabéns a todos os Profissionais de Educação Física!



Related Posts with Thumbnails