POSTAGENS RECENTES

quinta-feira, 21 de abril de 2011

21 ABRIL - DIA DE TIRADENTES - INCONFIDÊNCIA MINEIRA



Photobucket

Esse dia foi considerado feriado nacional, por meio de um decreto real de 1890.

A lei no 4.897, de 9/12/1965, proclamou Tiradentes o Patrono Cívico da Nação Brasileira.



Em meados do século XVIII, a produção de ouro no Brasil, que era a principal fonte de receita da coroa portuguesa, começou a se tornar escassa. Esta situação abalou o pacto colonial. Sem a quantidade usual de ouro sendo remetida à corte, Portugal resolveu criar mais impostos e aumentar os já existentes.


Com isso, crescia o descontentamento da elite colonial e começavam a surgir anseios de autonomia. Pensadores como Rosseau, Voltaire e Montesquieu, inspiraram os ideais revolucionários. Mas o fator desencadeante desses movimentos foi a independência dos Estados Unidos, em 1776, livrando-se do jugo inglês. No Brasil, formou-se um grupo chamado de Inconfidentes. Liderado por Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, o movimento contava com a elite intelectual mineira.


Photobucket


A ideia do movimento era livrar-se do domínio português e promover o desenvolvimento do novo país, através da livre produção, da criação de universidades e da abolição da escravatura.

Em dezembro de 1788, o tenente-coronel Francisco de Paula Freire de Andrade, comandante do regimento da cavalaria de Minas, os afamados Dragões, reuniu-se em sua casa com José Álvares Maciel, o alferes Joaquim José da Silva Xavier, chamado de Tiradentes, Alvarenga Peixoto, o padre Oliveira Rolim e o negociante mais endividado da capitania, Joaquim Silvério dos Reis. Seu objetivo era planejar um levante contra a Coroa e decidir sobre a defesa da livre produção a transferência da capital para São João del Rei e a adoção da bandeira com o lema "LIBERTAS QUAE SERA TAMEM" ("Liberdade ainda que tardia"), entre outros.



Photobucket


Em 1788, Luís Antônio Furtado de Mendonça, o Visconde de Barbacena, chegou a Vila Rica (atual Ouro Preto), vindo de Portugal, com ordens expressas de reformar o sistema tributário e obrigar Minas Gerais a pagar cem arrobas (ou 1.500 kg) de ouro por ano para a Coroa, de acordo com um decreto real. Se esse não fosse cumprido, o Visconde deveria cobrar a "derrama" - nome dado ao imposto extra, que seria pago por toda a população, para completar as cem arrobas - em fevereiro de 1789. Revoltados contra essa imposição os membros da elite econômica e cultural de Minas gerais se reuniram para planejar um movimento, que foi batizado de Inconfidência Mineira e calcado nas idéias liberais e iluministas que vigoravam entre a elite intelectual da Europa.

O levante foi, então, marcado para o dia da cobrança da derrama, mas os planos para o golpe eram muito vagos. O movimento não tinha nenhum caráter popular e visava apenas pôr fim à opressão portuguesa, que prejudicava a elite mineira.

Por ser um movimento desorganizado, cujo objetivo era pouco claro, a Inconfidência Mineira não durou muito tempo. Findou quando Joaquim Silvério dos Reis denunciou os companheiros ao Visconde de Barbacena, então governador de Minas Gerais. Com isso, Silvério dos Reis conseguiu o perdão para suas dívidas com a Fazenda Real.


Photobucket



Tiradentes foi confinado por três anos em uma masmorra, até sair a sentença de seu julgamento.


Photobucket



O líder do movimento inocentou todos os seus companheiros, que foram condenados à prisão ou ao degredo.


Photobucket

Todos os participantes da Inconfidência Mineira foram presos, julgados e condenados. Onze deles receberam sentença de morte, mas D. Maria I, rainha de Portugal, concedeu-lhes nova pena: foram exilados para outras colônias portuguesas na África.

Apenas Tiradentes teve sua pena de morte mantida. Era ele, justamente, o homem mais pobre e o mais entusiasmado com os ideais de independência.


No dia 21 de abril de 1792, foi enforcado, decapitado e teve seu corpo esquartejado. Sua cabeça e as partes de seu corpo foram espalhadas por Vila Rica, a sede da Inconfidência, sua casa foi destruída e seus descendentes considerados infames.

Photobucket



Embora tenha sido derrotado, Joaquim José da Silva Xavier converteu-se em um mártir, plantando a semente do processo de independência do Brasil. Mas sua luta só teve reconhecimento muitos anos depois de sua morte.

Somente em 1867, quase 50 anos após a independência do Brasil, é que se ergueu em Ouro Preto um monumento em sua memória, por iniciativa do presidente da província Joaquim Saldanha Marinho. Mais tarde, no período republicano, o dia 21 de abril se tornou feriado nacional, e pela lei 4.867, de 9 de dezembro de 1965, Tiradentes foi proclamado patrono cívico da nação brasileira.


Photobucket


Leia mais: Dia de Tiradentes


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails