POSTAGENS RECENTES

segunda-feira, 25 de abril de 2011

25 ABRIL - 37 ANOS DA REVOLUÇÃO DOS CRAVOS EM PORTUGAL



Photobucket

Homenagem ao país irmão e aos bravos portugueses



25 DE ABRIL

Esta é a madrugada que eu esperava
O dia inicial inteiro e limpo
Onde emergimos da noite e do silêncio
E livres habitamos a substância do tempo

© Sophia de Mello Breyner Andresen




Photobucket



Aos amigos blogueiros meu carinho e admiração.

Força Portugal!


Deixo o link de uma postagem antiga, em outro blog meu, pois leva a outros endereços interessantes, sobre o 25 de Abril em Portugal.


Leia na Wikipedia Revolução dos Cravos.

domingo, 24 de abril de 2011

24 ABRIL - FELIZ PÁSCOA!



Link aqui...




PÁSCOA


Vem do hebreu Pessach, que significa "passagem", festa celebrada há mais de dois mil anos, para lembrar o êxodo dos judeus do Egito, depois de trezentos anos de escravidão.

Para os cristãos, essa é a mais importante das datas cristãs. É comemorada em todas as partes do mundo e simboliza alegria, recomeço, nova vida e sentido do sacrifício, em razão de outra passagem: a ressurreição de Jesus Cristo.







Muitos costumes ligados ao período pascal vêm da celebração da Páscoa judaica, em que o sacrifício do cordeiro era um prognóstico do sacrifício de Cristo na cruz. Os símbolos da Páscoa no mundo são: o cordeiro (representa o sacrifício do Cordeiro de Deus, que tira os pecados do mundo); as luzes, velas e fogueiras (significam a chama da luz e da esperança); os ovos (simbolizam o nascimento, a nova vida que retorna à natureza, visto que a existência de muitos animais tem sua origem no ovo); os coelhos (representam o nascimento e a nova vida, em razão de sua fertilidade, pois são animais que se reproduzem rapidamente e em grande escala).

Os cristãos primitivos da Mesopotâmia foram os primeiros a usar ovos coloridos na Páscoa para representar a alegria da ressurreição e o reconhecimento do sacrifício. A tradição de oferecer ovos veio da China. Séculos atrás os orientais se preocupavam em envolver os ovos naturais em cascas de cebola, cozinhando-os com beterraba. Quando retirados da água quente, apresentavam desenhos nas cascas.

O costume de presentear ovos chegou ao Egito e à Pérsia. As pessoas passaram a tingir ovos com alegres cores, presenteando-os aos amigos na Festa da Primavera. Os persas acreditavam que a Terra havia saído de um ovo gigante. Para os egípcios, o coelho simbolizava o nascimento e a nova vida. Existem algumas versões para explicar a substituição de ovos naturais pelos de chocolate. A hipótese mais provável é a que se refere à indústria de chocolate, iniciada pelo holandês Van Houtem, em 1828.

Depois da morte de Jesus Cristo, os cristãos consagraram o hábito de comemorar a Páscoa como lembrança da ressurreição. No século XVIII, a Igreja o adotou, oficialmente, visto ser Cristo o cordeiro pascal.



Link aqui...




Uma Oração para Páscoa!


Ó Cristo Ressuscitado, da morte vencedor, por tua vida e teu amor, mostraste a nós a face do Senhor. Por tua Páscoa o céu à terra uniste e o encontro com DEUS a todos nós permitiste. Por ti, Ressuscitado, os filhos da luz nascem para a vida eterna e abrem-se para os que creem as portas do reino dos céus. De ti recebemos a vida que possuis em plenitude, pois nossa morte foi redimida pela tua e em tua ressurreição nossa vida ressurge e se ilumina. Volta a nós, ó nossa Páscoa, teu semblante redivivo e permita que, sob teu constante olhar, sejamos renovados por atitudes de ressurreição e alcancemos graça, paz, saúde e felicidade para contigo nos revestir de amor e imortalidade. A ti, inefável doçura e nossa eterna vida, o poder e a glória por todos os séculos. Amém!















sábado, 23 de abril de 2011

23 abril - SÁBADO SANTO - SÁBADO DE ALELUIA 2011



Photobucket

Sábado Santo - Vigília Pascal


Também chamado Sábado de Aleluia, é o dia antes da Páscoa, sendo o último dia da Semana Santa.
No sábado à noite, é celebrada a Vigília Pascal, também conhecida como a Missa do Fogo.

Nela o Círio Pascal é aceso, resultando as cinzas. O significado das cinzas é que do pó viemos e para o pó voltaremos, sinal de conversão e de que nada somos sem Deus. Um símbolo da renovação de um ciclo.








A Igreja dá à luz novos filhos pela fé e pelo Batismo e, após a penitência quaresmal, renova a própria Aliança batismal, para participar mais intensamente da Ceia pascal do Cordeiro imolado e glorioso. Trata-se da celebração da vida renovada em Cristo ressuscitado. Tudo fala de vida e felicidade. As diversas etapas da Vigília fazem com que a vida divina penetre a Comunidade celebrante. A abertura é feita pela celebração da luz, que brota da pedra virgem, simbolizando Jesus Cristo, Luz do mundo. Ela vai dissipando as trevas para iluminar a todos os presentes. Nesta noite, são celebrados os 3 sacramentos da Iniciação Cristã (Batismo, Eucaristia e Crisma), cada um representado por um símbolo de vida, animado pela ação do Espírito Santo. A Água Batismal comemora a ação criadora e libertadora de Deus através da história da Salvação. O Óleo da Crisma simboliza a presença e ação do Espírito Santo na nova criação, inaugurada na vida da Igreja. A Eucaristia, simbolizada pelo pão e o vinho, é a celebração da nova Páscoa de Cristo participada pela Igreja. A vida que nasce no Batismo e é animada pelo Espírito, alimenta-se na mesa do Cordeiro Pascal.














23 ABRIL - DIA MUNDIAL DO LIVRO E DO DIREITO DE AUTOR



Photobucket



Um pouco da história

O Dia Mundial do Livro teve a sua origem na Catalunha, uma região semi-autônoma da Espanha.
A data começou a ser celebrada em 7 de outubro de 1926, em comemoração ao nascimento de Miguel de Cervantes, escritor espanhol. O escritor e editor valenciano, estabelecido em Barcelona, Vicent Clavel Andrés, propôs este dia para a Câmara Oficial do Livro de Barcelona.
Em 6 de fevereiro de 1926, o governo espanhol, presidido por Miguel Primo de Rivera, aceitou a data e o rei Alfonso XIII assinou o decreto real que instituiu a Festa do Livro Espanhol.
No ano de 1930, a data comemorativa foi trasladada para 23 de abril, dia do falecimento de Cervantes.

Em outra informação consta que esta data foi escolhida para honrar a velha tradição catalã segundo a qual, neste dia, os cavaleiros oferecem às suas damas UMA ROSA VERMELHA DE SÃO JORGE (Saint Jordi) e recebem em troca, UM LIVRO.
Partilhar livros e flores, na primavera, é prolongar uma longa cadeia de alegria e cultura, de saber e paixão.

Photobucket

Mais tarde, em 1996, a UNESCO instituiu 23 de abril como o Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor, em virtude de a 23 de abril se assinalar o falecimento de outros escritores, como Josep Pla, escritor catalão, e William Shakespeare, dramaturgo inglês.

No caso do escritor inglês, tal data não é precisa, porque a Inglaterra, naquele tempo, ainda utilizava o calendário juliano, pelo que havia uma diferença de 10 dias para o calendário gregoriano usado em Espanha. Assim Shakespeare faleceu efetivamente 10 dias depois de Cervantes.

Comemoração pela UNESCO



Photobucket


O dia mundial do livro e do direito de autor é celebrado a 23 de Abril em 100 países. A data foi instituída pela Conferência Geral da UNESCO para prestar tributo aos grandes autores da literatura mundial que nasceram ou morreram neste dia. É o caso de Cervantes, Shakespeare, Inca Garcilaso de la Vega e Vladimir Nabokov. A celebração procura também encorajar as pessoas, especialmente os mais jovens, “a descobrir o prazer da leitura e a respeitar a obra insubstituível daqueles que contribuíram para o progresso social e cultural da Humanidade” (UNESCO).
A primeira cidade a ser eleita pela UNESCO foi Madrid, em 2001.

Photobucket

A ideia de celebrar este dia surgiu na Catalunha, onde é oferecida uma rosa a cada pessoa que compra um livro. Desde então o dia 23 de Abril tem sido comemorado de diversas formas por todo o mundo.

Todos os anos o Comité da UNESCO nomeia a Capital Mundial do Livro. Este ano o programa para a promoção do livro escolhido foi o de Buenos Aires , que lhe valeu a nomeação de Capital Mundial do Livro 2011. É a primeira cidade da América Latina a receber essa nomeação, e, a partir de hoje, ao longo de um período de 12 meses, Buenos Aires será palco de manifestações, seminários, festivais, que celebrarão o mundo dos livros e da leitura.

Buenos Aires foi selecionada a partir de uma lista de sete cidades candidatas, das quais constavam Havana (Cuba), Sharjah (Emirados Árabes Unidos), Teerão (Irão), Caracas (Venezuela) e ainda Lagos (Nigéria) e Porto Novo (Benin). A presença destas duas cidades africanas foi destacada pelo comité de seleção, que desejou que «a literatura e a política editorial sejam reforçadas nessas regiões», de acordo com o jornal brasileiro Estadão.

Formado por representantes das três principais associações de profissionais do mundo do livro, o comitê de seleção da UNESCO destacou a «qualidade e variedade» do programa proposto pela cidade vencedora, assim como «a estratégia apresentada», que valeram a Buenos Aires o título de 11ª Capital Mundial do Livro.


Ateneo - uma das livrarias de Buenos Aires, funciona em um antigo teatro, inaugurado em 1919, na esquina das avenidas Callao e Santa Fé.


Photobucket




Direito do autor

Nesta data celebra-se também o direito de autor. Um direito que é reconhecido pela Declaração Universal dos Direitos do Homem (artigo 27º.) O direito de autor funciona simultaneamente como garantia de defesa do patrimônio e dos valores culturais.



Photobucket

sexta-feira, 22 de abril de 2011

22 ABRIL - SEXTA-FEIRA DA PAIXÃO 2011



Photobucket

É a data em que os cristãos lembram o julgamento, paixão, crucificação, morte e sepultura de Jesus Cristo,
através de diversos ritos religiosos.



Na Igreja Católica, este dia pertence ao Tríduo pascal, o mais importante período do ano litúrgico.
É um dos raros dias em que não se celebra, em absoluto, a Eucaristia. A Igreja exorta os fiéis a que neste dia observem alguns sinais de penitência, em respeito e veneração pela morte de Cristo. Assim, convida-os à prática do jejum e da abstinência da carne. A Igreja apresenta grande austeridade, nada deve distrair o nosso olhar do altar e da cruz, o povo cristão deve ficar vigilante junto à cruz do Senhor e da Virgem Maria. Jesus foi interrogado pelos sumos-sacerdotes e quando respondeu que era o Messias, o Filho de Deus, todos gritaram que isto era uma blasfêmia e que por isso merecia a morte. Durante e entre estas audiências, foi insultado pelos guardas, Pedro O negou 3 vezes e se arrependeu, e Judas, após ouvir a sentença de morte, suicidou-se. Era tradição na Páscoa judaica libertar um preso. Pilatos, tentando libertar Jesus, foi forçado a libertar Barrabás. Jesus foi açoitado e entregue para a crucificação. Pilatos lavou as mãos, pois não queria essa culpa para si. Porém, foi covarde e acabou por condená-Lo a morte como pediam os fariseus e mestres da lei que manipularam a multidão para que pedissem o mesmo. Jesus então carrega a sua cruz até o Calvário, onde é crucificado entre dois ladrões (um deles é São Dimas), morto e sepultado, como vemos na Via-Sacra.



Durante a Semana Santa, que começa com o Domingo de Ramos, os católicos realizam muitos ritos para rememorar os últimos dias de Jesus Cristo na Terra.

Na Sexta-Feira Santa, dia em que se relembra a morte de Jesus, nas igrejas católicas não é rezada nenhuma missa, em sinal de luto e de dor. Entretanto, em muitas localidades do Brasil, os fiéis realizam procissões e encenações dramáticas, em geral nas ruas e praças públicas, representando a Via-Sacra ou Via-Crúcis. Trata-se de uma série de 14 cenas que mostram as diversas etapas do percurso realizado por Jesus carregando a cruz, desde o seu julgamento por Pôncio Pilatos até subir a colina do Gólgota, palavra hebraica que significa calvário ou lugar da caveira, onde se deu a sua crucificação, agonia e morte.

Na Idade Média, essas representações dramáticas da Paixão de Cristo eram realizadas nos mosteiros e ao ar livre, como forma de ensinar a história de Cristo às pessoas que não sabiam ler. É famoso o Drama da Paixão encenado em Oberammergau, na Alemanha. Conta-se que no outono de 1693 a peste atingira a aldeia, e a população fez a promessa de que, se fossem salvos, representariam a morte de Cristo todos os anos, para recordar seus sofrimentos. Depois da promessa, ninguém mais teria sido atingido pela peste. O drama de Oberammergau costumava ser representado apenas na Páscoa, mas hoje é encenado duas vezes por semana, de maio a setembro. Todos os atores são naturais da aldeia, não usam maquiagem e nem luzes artificiais. O drama tem a duração de oito horas e pessoas vêm de longe para ver a representação.

No Brasil, a mais famosa representação da Paixão de Cristo realiza-se em Pernambuco, na cidade de Nova Jerusalém, atraindo milhares de pessoas de todo o país.




Photobucket



quinta-feira, 21 de abril de 2011

21 ABRIL - DIA DA FUNDAÇÃO DE BRASÍLIA



Photobucket

21 de abril - Dia da Fundação de Brasília


Antes de ser construída, a capital do Brasil, foi profetizada em Turim, Itália, pelo padre salesiano João Bosco. Ele sonhou que uma grande civilização iria nascer entre os paralelos 15 e 20 exatamente no local em que Brasília foi construída.

O desejo de mudar a capital do Brasil para o interior era antigo. Em 1716, o Marquês de Pombal aventou essa necessidade, visto que uma capital no litoral - como o foram Salvador e Rio de Janeiro - poderia ser facilmente tomada de assalto por nações inimigas. Em 1821, José Bonifácio de Andrada e Silva sugeriu o nome "Brasília", quando era vice-presidente da junta que cuidava do assunto da interiorização da capital.


Somente na primeira Constituição da República, em 1891, foi estabelecido o local onde deveria ser construída a futura capital brasileira. Durante as festividades do centenário da Independência do Brasil, em 7 de setembro de 1922, foi lançada no morro da Capelinha, em Planaltina, a pedra fundamental do Distrito Federal. Estava definitivamente marcado o local que seria o berço da grande civilização profetizada por Dom Bosco.

E, somente a partir de 1956, com a eleição de Juscelino Kubitschek de Oliveira, Brasília começou a ser construída. Foi criada a Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (NOVACAP) com Oscar Niemeyer na diretoria de arquitetura e urbanismo. A NOVACAP abriu concurso para a escolha do plano-piloto, cujo vencedor foi Lúcio Costa .





Em pouco tempo, ficaram prontos não só os desenhos de todos os prédios públicos, como também os de grande parte dos residenciais.


Photobucket


Lúcio Costa criou o projeto urbanístico de Brasília, partindo do traçado de dois eixos que se cruzavam em ângulo reto, como uma cruz. Esses eixos foram chamados de Rodoviário e Monumental. O Eixo Rodoviário, que cortava as áreas residenciais do plano piloto, foi levemente arqueado; a cruz tomou a forma de um avião, dando origem às famosas Asa Norte e Asa Sul. O Eixo Monumental, com 16 quilômetros de extensão, foi destinado às autarquias e aos monumentos. Foi dividido em três partes: lado leste, com prédios públicos e palácios do governo; centro, com a rodoviária e a torre de TV; lado oeste, com os prédios do governo do Distrito Federal. Em frente ao Palácio da Alvorada, foi construída a Ermida Dom Bosco, em homenagem ao padre salesiano.



Photobucket



Aos 21 de abril de 1960, após mil dias de construção, o presidente Kubitschek inaugurou Brasília, a nova capital do Brasil, instalando o Distrito Federal.

Photobucket

Em 1987, Brasilia foi declarada patrimônio histórico da humanidade pela Unesco.





Leia mais AQUI



Photobucket

21 ABRIL - DIA DE TIRADENTES - INCONFIDÊNCIA MINEIRA



Photobucket

Esse dia foi considerado feriado nacional, por meio de um decreto real de 1890.

A lei no 4.897, de 9/12/1965, proclamou Tiradentes o Patrono Cívico da Nação Brasileira.



Em meados do século XVIII, a produção de ouro no Brasil, que era a principal fonte de receita da coroa portuguesa, começou a se tornar escassa. Esta situação abalou o pacto colonial. Sem a quantidade usual de ouro sendo remetida à corte, Portugal resolveu criar mais impostos e aumentar os já existentes.


Com isso, crescia o descontentamento da elite colonial e começavam a surgir anseios de autonomia. Pensadores como Rosseau, Voltaire e Montesquieu, inspiraram os ideais revolucionários. Mas o fator desencadeante desses movimentos foi a independência dos Estados Unidos, em 1776, livrando-se do jugo inglês. No Brasil, formou-se um grupo chamado de Inconfidentes. Liderado por Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, o movimento contava com a elite intelectual mineira.


Photobucket


A ideia do movimento era livrar-se do domínio português e promover o desenvolvimento do novo país, através da livre produção, da criação de universidades e da abolição da escravatura.

Em dezembro de 1788, o tenente-coronel Francisco de Paula Freire de Andrade, comandante do regimento da cavalaria de Minas, os afamados Dragões, reuniu-se em sua casa com José Álvares Maciel, o alferes Joaquim José da Silva Xavier, chamado de Tiradentes, Alvarenga Peixoto, o padre Oliveira Rolim e o negociante mais endividado da capitania, Joaquim Silvério dos Reis. Seu objetivo era planejar um levante contra a Coroa e decidir sobre a defesa da livre produção a transferência da capital para São João del Rei e a adoção da bandeira com o lema "LIBERTAS QUAE SERA TAMEM" ("Liberdade ainda que tardia"), entre outros.



Photobucket


Em 1788, Luís Antônio Furtado de Mendonça, o Visconde de Barbacena, chegou a Vila Rica (atual Ouro Preto), vindo de Portugal, com ordens expressas de reformar o sistema tributário e obrigar Minas Gerais a pagar cem arrobas (ou 1.500 kg) de ouro por ano para a Coroa, de acordo com um decreto real. Se esse não fosse cumprido, o Visconde deveria cobrar a "derrama" - nome dado ao imposto extra, que seria pago por toda a população, para completar as cem arrobas - em fevereiro de 1789. Revoltados contra essa imposição os membros da elite econômica e cultural de Minas gerais se reuniram para planejar um movimento, que foi batizado de Inconfidência Mineira e calcado nas idéias liberais e iluministas que vigoravam entre a elite intelectual da Europa.

O levante foi, então, marcado para o dia da cobrança da derrama, mas os planos para o golpe eram muito vagos. O movimento não tinha nenhum caráter popular e visava apenas pôr fim à opressão portuguesa, que prejudicava a elite mineira.

Por ser um movimento desorganizado, cujo objetivo era pouco claro, a Inconfidência Mineira não durou muito tempo. Findou quando Joaquim Silvério dos Reis denunciou os companheiros ao Visconde de Barbacena, então governador de Minas Gerais. Com isso, Silvério dos Reis conseguiu o perdão para suas dívidas com a Fazenda Real.


Photobucket



Tiradentes foi confinado por três anos em uma masmorra, até sair a sentença de seu julgamento.


Photobucket



O líder do movimento inocentou todos os seus companheiros, que foram condenados à prisão ou ao degredo.


Photobucket

Todos os participantes da Inconfidência Mineira foram presos, julgados e condenados. Onze deles receberam sentença de morte, mas D. Maria I, rainha de Portugal, concedeu-lhes nova pena: foram exilados para outras colônias portuguesas na África.

Apenas Tiradentes teve sua pena de morte mantida. Era ele, justamente, o homem mais pobre e o mais entusiasmado com os ideais de independência.


No dia 21 de abril de 1792, foi enforcado, decapitado e teve seu corpo esquartejado. Sua cabeça e as partes de seu corpo foram espalhadas por Vila Rica, a sede da Inconfidência, sua casa foi destruída e seus descendentes considerados infames.

Photobucket



Embora tenha sido derrotado, Joaquim José da Silva Xavier converteu-se em um mártir, plantando a semente do processo de independência do Brasil. Mas sua luta só teve reconhecimento muitos anos depois de sua morte.

Somente em 1867, quase 50 anos após a independência do Brasil, é que se ergueu em Ouro Preto um monumento em sua memória, por iniciativa do presidente da província Joaquim Saldanha Marinho. Mais tarde, no período republicano, o dia 21 de abril se tornou feriado nacional, e pela lei 4.867, de 9 de dezembro de 1965, Tiradentes foi proclamado patrono cívico da nação brasileira.


Photobucket


Leia mais: Dia de Tiradentes


terça-feira, 19 de abril de 2011

19 ABRIL - DIA DO ÍNDIO



Photobucket



Quando os portugueses chegaram ao Brasil em 1500, encontraram uma natureza exuberante e um povo nativo muito diferente do europeu.

Como acreditavam ter chegado à Índia, que era o destino de sua viagem, apelidaram este povo de índio. Para os colonizadores europeus, todos os nativos eram índios. Essa generalização proposital favoreceu a dominação destes povos. Na verdade existiam muitas nações, etnias e grupos diferentes. Estes grupos formavam um universo completamente heterogêneo, disputavam territórios, e possuíam cultura e idiomas próprios.

Photobucket

No início, os europeus se aproveitaram desta diversidade e usaram o índio como aliado. Porém, logo decidiram torná-lo escravo e, nesta luta, inúmeras populações foram praticamente dizimadas.

Segundo a Fundação Nacional do Índio (FUNAI), no Brasil vivem hoje cerca de 345 mil índios, distribuídos entre 215 sociedades indígenas. Estes números representam cerca de 0,2% da população brasileira.

Estes dados referem-se apenas àqueles indígenas que vivem em reservas. De acordo com a FUNAI, há estimativas de que um número entre 100 mil e 190 mil vivam hoje fora das aldeias indígenas, inclusive em áreas urbanas. Há também indícios da existência de aproximadamente 53 grupos ainda não contatados.

O Dia do Índio foi instituído em 1940, durante o I Congresso Indigenista Interamericano, no México. No Brasil, a data passou a valer a partir de 1943, por decreto do então presidente Getúlio Vargas, depois da insistência do Marechal Cândido Rondon, um dos primeiros a se preocupar com essa questão no país.

A realidade indígena hoje é diferente de quando eles eram os donos desta terra. Obrigados a viver em áreas cada vez menores, os índios foram, gradativamente, perdendo seus hábitos e costumes. O contato com o homem branco contribuiu para essa aculturação, além de trazer doenças e outros males para dentro das aldeias. Muitos índios buscaram fugir da miséria migrando para os grandes centros urbanos. Mas, vítimas de preconceito e sem conseguir se integrar, transformaram-se em indigentes. Um triste jogo de palavras que em nada lembra os tempos gloriosos de guerreiros e caçadas.

Conheça também o blog da FUNAI.


Photobucket
Clique na imagem para ampliar


E uma belíssima homenagem ao Dia do Índio:


RESPEITO AOS ÍNDIOS


Intérprete: Ricardo Juarez


Para ler e ouvir: Mensagens no ar.


Os índios merecem todo o nosso respeito,
carinho e amor.

Até hoje algumas tribos vivem em aldeias,
preservando com garra sua própria raça.
Quando os portugueses aqui chegaram já encontraram os índios
vivendo e tomando conta das nossas terras.
Os índios respeitam e preservam a natureza.
Amam os animais e cuidam com carinho,
amor e imenso respeito da nossa fauna e da nossa flora.
Vivem em contato com a natureza e
consideram-se os verdadeiros donos das terras.
Os índios seguem uma alimentação natural e saudável,
por isso geralmente são fortes,
risonhos e felizes,
principalmente aqueles que não têm contato com os homens brancos.
Adoram caçar, pescar e plantar!
Tirando da terra sua alimentação e sobrevivência
preferem viver longe da civilização,
pois têm sua própria cultura e suas próprias leis.
Vamos amar nossos índios com todo o respeito que eles merecem!
Eles fazem parte da história do nosso povo!
Eles fazem parte da história do nosso país!
É importante que os índios sejam lembrados todos os dias
como nossos irmãos,
pois dão exemplo de pureza e dignidade sempre.
Adoradores da lua e do sol,
vivem em perfeita harmonia com mares,
rios e florestas!
Verdadeiros donos das nossas terras!


© Antonio Marcos Pires
Editora Santuário
Mensagens no ar




Photobucket


segunda-feira, 18 de abril de 2011

18 ABRIL - DIA NACIONAL DO LIVRO INFANTIL



Photobucket

18 de abril - Dia Nacional do Livro Infantil


Quem não se recorda dos belos e fantásticos livros que folheou na infância e das histórias maravilhosas que conheceu?
Pois bem, este dia é um brinde à nossa imaginação, e um parabéns acalorado ao também aniversariante do dia: Monteiro Lobato. Portanto, comemoremos o livro infantil e
enxerguemos nele um instrumento prazeroso
para desenvolvimento humano e transformação social.

Photobucket

O dia 18 de abril foi escolhido em homenagem à data de nascimento de José Bento Monteiro Lobato, a quem é atribuída a honra e o mérito de criar a literatura infantil no Brasil. Além de grande escritor, Monteiro Lobato era advogado e promotor público. Ao deixar esses cargos, tornou-se fazendeiro; na fazenda, inspirou-se para criar suas histórias.

Photobucket

Em 1918, ele publicou seu livro Urupês e depois Cidades mortas, destacando o interior brasileiro. No mesmo ano, fundou a Editora Monteiro Lobato & Cia. Alcançou grande sucesso literário ao criar termos regionalistas que até hoje são conhecidos. Um deles é o Jeca Tatu, termo criado para designar o roceiro indolente e apático.

Photobucket

Em seguida, Lobato começou a desenvolver sua obra voltada ao público infantil. Ao contrário dos clássicos estrangeiros, não recriou contos de outros escritores. Ele criou suas próprias histórias e construiu um universo caracterizado por um cenário natural - enriquecido pelo folclore brasileiro - em que os problemas do Brasil eram, pela primeira vez, levados para as crianças. Desenvolveu personagens fixos, como: Narizinho, Pedrinho, Emília, Dona Benta, Visconde de Sabugosa, Tia Anastácia, Tio Barnabé e Rabicó.

Seus Livros são conhecidos e admirados até hoje:


* 1921 - O Saci
* 1922 - Fábulas
* 1927 - As aventuras de Hans Staden
* 1930 - Peter Pan
* 1931 - Reinações de Narizinho
* 1932 - Viagem ao céu
* 1933 - História do mundo para as crianças
* 1933 - Caçadas de Pedrinho
* 1934 - Emília no país da gramática
* 1935 - Aritmética da Emília
* 1935 - Geografia de Dona Benta
* 1935 - História das invenções
* 1936 - Dom Quixote das crianças
* 1936 - Memórias da Emília
* 1937 - O poço do Visconde
* 1937 - Serões de Dona Benta
* 1937 - Histórias de Tia Nastácia
* 1939 - O Picapau Amarelo
* 1939 - O Minotauro
* 1941 - A reforma da natureza
* 1942 - A chave do tamanho
* 1944 - Os doze trabalhos de Hércules
* 1947 - Histórias diversas

Em 2007, a Editora Globo relançou a obra de Monteiro Lobato.








Clique para ampliar



Personagens

Principais

* Emília - Boneca de pano falante, irreverente e divertida.
* Visconde de Sabugosa - Sábio boneco de sabugo de milho.
* Pedrinho e Narizinho - As crianças que protagonizam as histórias.
* Dona Benta Encerrabodes de Oliveira - Avó de Pedrinho e Narizinho, dona do Sítio do Picapau amarelo.
* Tia Nastácia - Cozinheira do Sítio.
* Tio Barnabé - Um homem da roça, foi ele que ensinou Pedrinho a caçar Sacis.
* Marquês de Rabicó - O porquinho guloso que só pensa em comida.
* Conselheiro - O sábio burro falante que, como o próprio nome já diz, dá sempre bons conselhos.
* Quindim - Um doce rinoceronte.
* Cuca - Uma bruxa que vive infernizando os protagonistas do Sítio.
* Saci - O famoso personagem do folclore brasileiro, que acaba se tornando amigo de Pedrinho.

Personagens que só aparecem ou são citados em um ou mais livros


* Príncipe Escamado - Príncipe Escamado, é o peixe rei do Reino das Águas Claras, casado com Narizinho, aparecendo mais em Reinações de Narizinho.
* Cléo - Menina locutora de rádio que visita o sítio em As Caçadas de Pedrinho.
* Zé da Luz - Garoto briguento citado por Pedrinho em História do Mundo para as Crianças
* Detetive X B2 - Detetive vindo do Rio de Janeiro para o sítio quando souberam que o rinoceronte fugido do circo estava por lá em As Caçadas de Pedrinho.
* Fritz Müller - Alemão dono do circo de Quindim em As Caçadas de Pedrinho.
* Flor das Alturas - Anjinho de asa quebrada que Emília encontrou no cometa Halley em Viagem ao Céu, e voltou para o céu em Memórias da Emília
* Rã - Rãzinha da Silva, amiga de Emília do Rio de Janeiro que vem ao sítio para ajudar Emília na reforma da natureza.
* Mr. Kalamazoo - Perfurador vindo dos Estados Unidos para perfurar o poço de petróleo no sítio em O Poço do Visconde.
* Mr. Champignon - Químico-geólogo descrito como "parecido com Clark Gable", que vem ao sítio para ajudar a abrir o poço de petróleo em O poço do Visconde.

Leia mais AQUI e AQUI

O blog Portal Escola é um dos indicados como referência pelo Datas a Comemorar. Blog nota 10!


Photobucket


A literatura infantil brasileira conta com boas obras que divertem os pequenos e são fundamentais no aprendizado da língua portuguesa e de valores de cidadania e educação.

Em homenagem ao Dia Nacional do Livro Infantil, comemorado hoje, 18 de abril, citamos alguns dos nossos autores mais importantes neste segmento:


Ana Maria Machado



Foi uma das fundadoras da primeira livraria infantil no Brasil, a Malasartes, em 1980, e é membro da Academia Brasileira de Letras. Entre suas publicações está “Palavras, Palavrinhas, Palavrões”, sobre uma menina que gostava de colecionar e repetir palavras, até mesmo os palavrões, e não entendia porque certas palavras eram proibidas e outras não.

Ruth Rocha



Integrante da Academia Paulista de Letras, supera os 100 títulos publicados em mais de 25 idiomas. Sua obra mais conhecida é “Marcelo, Martelo, Marmelo”, que vendeu mais de um milhão de exemplares. Em “Palavras, Muitas Palavras”, todas as letras do alfabeto se apresentam para as crianças com graça e muita rima.

Elisa Lucinda


A poetisa tem como projeto de vida usar os versos na formação das crianças e ensinar os professores de escola pública a trabalhá-los em sala de aula. Alguns de seus livros são “A Menina Transparente” e “Lili, a rainha das escolhas”.

Tatiana Belinky




Russa, mas radicada no Brasil há mais de 80 anos, é uma das principais escritoras infantis contemporâneas. Integra a Academia Paulista de Letras e fez a primeira adaptação do Sítio do Picapau Amarelo para a TV. Alguns dos seus livros são “Saladinha de Queixas” e “O Caso do Bolinho”.

Ziraldo


“Meu sonho é tornar o Brasil um país de leitores. Ler é um prazer e não sacrifício. Espero, nessa altura da vida, e através deste projeto, ajudar a criança brasileira a não crescer analfabeta”. Este é o pensamento do O cartunista Ziraldo, criador da Turma do Pererê e do Menino Maluquinho, entre outras obras. Desde agosto de 2009 ele mantém na TV Brasil o programa "ABZ do Ziraldo". A proposta é incentivar nas crianças e jovens a leitura, através da apresentação de livros, autores e contadores de estórias.


Anne Liere


Escritora, poetisa, professora e amiga blogueira. Autora do livro Lenita, a menina voadora, encanta a todos com seus textos, poemas em seu blog, Menina Voadora. É autora também do livro Mar de Paixões. Conheça seus 
blogs.







Parabéns a todos escritores, poetas, que levam gerações a voar nas asas da borboleta e pousar em regiões mágicas, através das letras!

quarta-feira, 13 de abril de 2011

13 ABRIL - DIA MUNDIAL DO BEIJO



Photobucket


É uma data simbólica, que nos faz refletir da importância deste ato,
tão intimo que é o beijo.





Photobucket


sexta-feira, 8 de abril de 2011

08 ABRIL - DIA MUNDIAL DO COMBATE AO CÂNCER



Photobucket

O Dia Nacional de Combate ao Câncer foi criado em 1988 para ampliar o conhecimento da população sobre o tratamento e, principalmente, sobre a prevenção da doença.

A Portaria do Ministério da Saúde GM nº 707, de dezembro de 1988, que regulamenta as comemorações, estabelece que a data seja uma oportunidade para "evocar o importante significado histórico das entidades de combate ao câncer, de consagração aos inumeráveis e valiosos serviços prestados ao país e proporcionar importante mobilização popular quanto aos aspectos educativos e sociais na luta contra o câncer".



O QUE É CÂNCER?

Câncer é o nome dado a um conjunto de mais de 100 doenças que têm em comum o crescimento desordenado (maligno) de células que invadem os tecidos e órgãos, podendo espalhar-se (metástase) para outras regiões do corpo.

Dividindo-se rapidamente, estas células tendem a ser muito agressivas e incontroláveis, determinando a formação de tumores (acúmulo de células cancerosas) ou neoplasias malignas. Por outro lado, um tumor benigno significa simplesmente uma massa localizada de células que se multiplicam vagarosamente e se assemelham ao seu tecido original, raramente constituindo um risco de vida.

Os diferentes tipos de câncer correspondem aos vários tipos de células do corpo. Por exemplo, existem diversos tipos de câncer de pele porque a pele é formada de mais de um tipo de célula. Se o câncer tem início em tecidos epiteliais como pele ou mucosas ele é denominado carcinoma. Se começa em tecidos conjuntivos como osso, músculo ou cartilagem é chamado de sarcoma.

Outras características que diferenciam os diversos tipos de câncer entre si são a velocidade de multiplicação das células e a capacidade de invadir tecidos e órgãos vizinhos ou distantes (metástases).






10 DICAS PARA SE PROTEGER DO CÂNCER



1 - Pare de Fumar - Esta é a regra mais importante para prevenir o câncer.



2 - Uma alimentação saudável pode reduzir as chances de câncer em pelo menos 40%. Coma mais frutas, legumes, verduras, cereais e menos alimentos gordurosos, salgados e enlatados. Sua dieta deveria conter diariamente, pelo menos, cinco porções de frutas, verduras e legumes. Dê preferência às gorduras de origem vegetal como o azeite extra virgem, óleo de soja e de girassol, entre outros, lembrando sempre que não devem ser expostas a altas temperaturas. Evite gorduras de origem animal (leite e derivados, carne de porco, carne vermelha, pele de frango etc) e algumas gorduras vegetais como margarinas e gordura vegetal hidrogenada.




3 - Evite ou limite a ingestão de bebidas alcoólicas. Os homens não devem tomar mais do que dois drinks por dia, enquanto as mulheres devem limitar este consumo a um drink. Além disso, pratique atividades físicas moderadamente durante pelo menos 30 minutos, cinco vezes por semana.




4 - É aconselhável que homens, entre 50 e 70 anos, na oportunidade de uma consulta médica, orientem-se sobre a necessidade de investigação do câncer da próstata.

5 - Os homens acima de 45 anos e com histórico familiar de pai ou irmão com câncer de próstata antes dos 60 anos devem realizar consulta médica para investigação de câncer da próstata.



6 - As mulheres, com 40 anos ou mais, devem realizar o exame clínico das mamas anualmente. Além disto, toda mulher, entre 50 e 69 anos, deve fazer uma mamografia a cada dois anos. As mulheres com caso de câncer de mama na família (mãe, irmã, filha etc, diagnosticados antes dos 50 anos), ou aquelas que tiverem câncer de ovário ou câncer em uma das mamas, em qualquer idade, devem realizar o exame clínico e mamografia, a partir dos 35 anos de idade, anualmente.

7 - As mulheres com idade entre 25 e 59 anos devem realizar exame preventivo ginecológico. Após dois exames normais seguidos, deverá realizar um exame a cada três anos. Para os exames alterados, deve-se seguir as orientações médicas.




8 - É recomendável que mulheres e homens, com 50 anos ou mais, realizem exame de sangue oculto nas fezes, a cada ano (preferencialmente), ou a cada dois anos.



9 - No lazer, evite exposição prolongada ao sol, entre 10h e 16h, e use sempre proteção adequada como chapéu, barraca e protetor solar. Se você se expõe ao sol durante a jornada de trabalho, procure usar chapéu de aba larga, camisa de manga longa e calça comprida.




10 - Realize diariamente a higiene oral (escovação) e consulte o dentista regularmente.




Fonte:WebSite INCA (Instituto Nacional de Câncer)

Leia mais AQUI





Related Posts with Thumbnails