POSTAGENS RECENTES

domingo, 13 de março de 2011

14 MARÇO - DIA NACIONAL DA POESIA





Castro Alves foi um dos maiores poetas brasileiros, tendo marcado sua carreira como homem de honra, que lutou por causas nobres, como defensor da República e da Abolição da Escravidão.
Em sua homenagem foi criado o Dia da Poesia, na data de seu nascimento, 14 de março.

Antônio de Castro Alves nasceu a 14 de março de 1847 na comarca de Cachoeira, na Bahia, e faleceu a 6 de julho de 1871, aos vinte e quatro anos, em Salvador, no mesmo estado brasileiro.
Fez o curso primário no Ginásio Baiano. Em 1862 ingressou na Faculdade de Direito de Recife.

Datam desse tempo os seus amores com a atriz portuguesa Eugênia Câmara e a composição dos primeiros poemas abolicionistas: Os Escravos e A Cachoeira de Paulo Afonso, declamando-os em comícios cívicos.
Em 1867 deixa Recife, indo para a Bahia, onde faz representar seu drama Gonzaga. Segue depois para o Rio de Janeiro, recebendo aí incentivos promissores de José de Alencar, Francisco Otaviano e Machado de Assis.
Em São Paulo, encontra nas Arcadas a mais brilhante das gerações, na qual se contavam Rui Barbosa, Joaquim Nabuco, Rodrigues Alves, Afonso Pena, Bias Fortes e tantos outros. Vive, então, os seus dias de maior glória.
A 11 de novembro de 1868, em caçada nos arredores de São Paulo, feriu o calcanhar esquerdo com um tiro de espingarda, resultando-lhe a amputação do pé. Sobreveio, em seguida, a tuberculose, sendo obrigado a voltar à Bahia, onde veio a falecer.


Castro Alves pertenceu à Terceira Geração da Poesia Romântica (Social ou Condoreira), caracterizada pelos ideais abolicionistas e republicanos, sendo considerado a maior expressão da época.

Sobre o grande poeta, Ronald de Carvalho diz:

"- mais perto andou da alma nacional e o que mais tem influído em nossa poesia, ainda que, por todos os modos, tentem disfarçar essa influência, na verdade sensível e profunda".

Sua carreira foi premiada com a cadeira número sete da Academia Brasileira de Letras.

Conhecido como poeta dos escravos, Castro Alves escreveu o famoso poema “Navio Negreiro”, onde relatava sobre as condições de sofrimento durante o transporte dos escravos, além de detalhes de suas vidas, manifestando sua opinião contra esses atos de maus tratos e abusos.


Suas obras:

Gonzaga ou A Revolução de Minas
Os Escravos
Hinos do Equador
A Cachoeira de Paulo Afonso
Espumas Flutuantes
Vozes D'África









O que é a poesia

A poesia é uma obra literária que expressa sentimentos, sensações e impressões, através de palavras ritmadas, musicadas, combinadas de forma harmônica, formando os versos.
Antigamente as poesias tinham que apresentar a métrica e as rimas. Hoje, com a modernidade, perderam essa característica, não precisando obedecer às regras da língua.

Tipos de poesia

A poesia se divide em três tipos: a lírica, a dramática e a épica.
Nas poesias líricas os poetas descrevem seus sentimentos e suas experiências de vida; as dramáticas aparecem em peças teatrais, como diálogos ou monólogos; e a épica é a que retrata fatos históricos de heróis.


No Brasil, uma das formas de poesia mais presentes na cultura popular é o repente (literatura de cordel), encontrado na região nordeste do país. A declamação é feita de forma improvisada, onde dois cantores se desafiam através das palavras, provocando situações para o outro responder.
O mais famoso repentista do país foi o cearense Patativa do Assaré, Antônio Alves da Silva, que cantava em seus versos o sofrimento do povo nordestino. Suas obras podem ser encontradas nos livretos de cordel.


* Pelo dia da Poesia
As Poéticas Palavras de Carlos Drumond de Andrade*
Excerto do Poema:

Procura da poesia

*
"Penetra surdamente no reino das palavras.
Lá estão os poemas que esperam ser escritos.
Estão paralisados, mas não há desespero,
há calma e frescura na superfície intacta.
Ei-los sós e mudos, em estado de dicionário.
Convive com teus poemas, antes de escrevê-los.
Tem paciência se obscuros.
Calma, se te provocam...
não forces o poema a se desprender do limbo.
Não colhas no chão o poema que se perdeu...
Não adules o poema.
Aceita-o
como ele aceitará sua forma definitiva
e concentrada no espaço..."


© Carlos Drummond de Andrade













Comemoramos também o Dia Mundial da Poesia a 21 de março.



5 comentários:

  1. Parabéns,a si que tb é Poeta!
    Pela sensibilidade e harmonia!
    Beijo.
    isa.

    ResponderExcluir
  2. Penso que em Portugal é no dia 20, por isso dou os meus parabéns a todos os poetas brasileiros.
    Sabia que aqui também temos essa coisa do repente? Mas chamamos cantigas ao desafio, duas pessoas cantando versos improvisados desafiando-se mutuamente. Usa-se mais no Norte de Portugal, onde eu moro.
    Beijinhos e parabéns pela sua alma poética.

    ResponderExcluir
  3. Obrigada mana do coração!
    Já fui ao teu blog onde homenageia os nossos poetas! E pude conhecer mais um poeta brasileiro contemporâneo muito bom!
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Querida amiga Felipa
    Obrigada, de coração!
    Sua presença me deixa sempre feliz, pela amizade que nos une! E elimina distâncias geográficas!
    Em 21 de março comemoramos o dia mundial da poesia.
    Nas duas datas, em especial, você é sempre lembrada por mim! Sua criação poética me emociona muito e aos seus leitores!
    Beijos com muito carinho

    ResponderExcluir
  5. Olá,Helô!!!

    Ficou lindo este post!!
    Estou levando o selo do dia do blogueiro!!
    Amanhã é nosso dia!!!Parabéns minha querida!!!
    Como está você? Cuide-se bem!!
    Muitos beijos!!
    Minha sincera admiração e carinho!!!

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails